GTE – Qual é o impacto da tecnologia na educação?

Eu acredito que a tecnologia vai modificar totalmente a educação e fará isso pois é algo que precisa ser feito e porque os jovens não vão mais aprender no papel, ter aulas escutando o professor falando. Eles necessitam de interação, e nós, como criadores de conteúdos educativos, competimos com o mercado de jogos. Todos os estudantes têm seus dispositivos móveis, e se não oferecermos algo interessante, eles vão começar a jogar, entrar no Facebook… Para ter impacto na mente dos jovens, temos de pensar que competimos com os melhores do mercado, ou senão não vamos fazer uma mudança.

GTE – Vivemos a era da “gameficação”. Introduzir jogos na educação é uma boa estratégia?

“Gameficar” o processo educativo, porém também fazê-lo mais interativo. E nem todos os jogos têm de ser para ganhar ou perder. Eu gostaria que todos jogassem, porém de forma colaborativa e também com o foco no que se aprende, e como melhorar as capacidades, e não em como ser melhor do que os amigos da classe.

GTE – O jogo criado por sua equipe acaba de ser premiado pelas Nações Unidas na categoria “Educação para Todos”. O que ele ensina?

Eu acredito que o sucesso do nosso jogo, o “Smile Urbo”, vem de algo muito simples, fácil de entender. Se não sabemos como colaborar e como trabalhar juntos para criar algo bom para todos, nunca teremos um mundo solidário; e o sucesso do nosso jogo também se deve ao fato de que nunca fizemos algo parecido na escola ou fizemos poucas vezes. Eu acredito que o sucesso do “Smile Urbo” está relacionado à seguinte reflexão: Por que não fazemos se podemos fazer jogando e nos divertindo? E é algo tão básico para a sociedade, que deveria ser feito dez vezes ao ano. Creio que a possibilidade do sistema educativo é a de formar pessoas capazes de trabalhar juntas, para melhorar o mundo, melhorar suas comunidades.

GTE – Você imagina o seu jogo presente nas escolas do Brasil?

Claro, eu imagino o meu jogo em todas as escolas do mundo, senão não colocaria tanta energia e minha equipe não trabalharia tanto se não tivéssemos essa visão. E me parece que é muito aplicável. É algo que me encantaria! Vendo estudantes que jogam e falando com eles, nos dá muita energia para saber que teremos de fazer o jogo chegar a mais lugares possíveis, porque vale a pena.

GTE – O que é inovação para você?

Eu acredito que inovação é utilizar maneiras simples de encontrar algo que falta, algo simples que se possa corrigir. Eu não vejo inovação como um processo muito complexo, porém como quem tem uma ideia, tem a postura de ver o mundo e pensar por que isso acontece, por que não fazemos nada com isso e como eu posso fazer isso? É um buscar os pontos em que se possa melhorar.

www.smileurbo.com