Parceiros, consultores, colaboradores e instituições com as quais a Fundação Vanzolini trabalha ou já realizou projetos na área da Educação participaram do evento, realizado no final de julho, na sede da FCAV, na Avenida Paulista.

O Seminário, pensado com o objetivo de analisar a atual conjuntura e mapear os conflitos e tendências nas políticas estratégicas na área, foi liderado por Maria Helena Guimarães de Castro.

Socióloga, professora e mestre em Ciências Políticas, Maria Helena já esteve à frente da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, foi secretária-executiva do Ministério da Educação e integrou outras instituições públicas em diferentes esferas.

“A ideia desse Seminário foi criar uma oportunidade para ouvir uma das testemunhas mais importantes dos anos recentes da história da Educação que participou da elaboração e implementação de diversas  políticas públicas em diferentes governos”, ressalta Luis Marcio Barbosa, da Coordenação da GTE.

O primeiro dia tratou sobre o financiamento da educação básica. A educadora Guiomar Namo de Melo ressaltou a importância de abrir esse espaço para o debate em um momento com tantas mudanças como o atual.

No segundo dia, os assuntos giraram em torno da reforma do Ensino Médio e os novos modelos para a avaliação de sistemas e escolas.

“Eu acho que faltam momentos assim para discutirmos temáticas da atualidade que tenham interesse para a educação e que não sejam muito pontuais. Por exemplo, quando se discute experiências renovadas de avaliação, você está discutindo o ensino, a aprendizagem e está se colocando em compasso com o que está acontecendo num âmbito mais amplo”, afirma Ghisleine Trigo, do Conselho Estadual de Educação.

Para Mônica Franco, diretora-executiva do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), a iniciativa enriquece a reflexão sobre os grandes temas que estão postos para a Educação brasileira. “A visão internacional dos processos de avaliação que impactam as políticas públicas brasileiras da forma como foi trazida, com profundidade, ajuda a gente a planejar do ponto de vista do Cenpec as nossas ações e intervenções no âmbito das nossas atividades nos municípios e estados.”

Maria Helena apresentou as últimas tendências de avaliação no contexto do PISA – Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes, coordenado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e que avalia o conhecimento de estudantes de 15 anos em Leitura, Matemática e Ciências.

“Tratamos de aspectos que impactam diretamente a nossa atuação. Como novidade, destaco os dados recentes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), ligados ao uso da inteligência artificial nas avaliações”, completa a gestora Renata Simões.

“Eu tive a oportunidade de discutir com uma equipe altamente qualificada questões que são prementes. Eu acho que está faltando isso no debate a respeito das mudanças que têm acontecido. Foi excelente ter a oportunidade de dialogar com liberdade sobre aspectos importantes da Educação brasileira”, complementa Maria Helena.